Como prevenir complicações nos pés das pessoas com diabetes

A lesão dos nervos causa:

  • Diminuição da sensibilidade à dor, ao tato, à temperatura e à pressão
  • Diminuição da umidade da pele
  • Deformidade nos pés
  • Alterações da marcha e do equilíbrio

A doença dos vasos causa: 

  • Diminuição da nutrição da pele facilitando o aparecimento de feridas
  • Dificuldade de cicatrização
  • Gangrena

Essas alterações, se não tratadas, podem levar a graves consequências como a amputação dos pés, parte deles e até de toda perna.

Como se desenvolve a lesão: (Ver imagens abaixo do Consenso do Pé Diabético 2011/2015)

1.Formação de calo  2. Hemorragia  3.Ferida  4. Infecção profunda/osteomielite

  • Descuido no tratamento das lesões
  • Baixa adesão às recomendações dos profissionais
  • Falta de repouso da área afetada

Retardo da cicatrização  >>>> infecção  >>>>  amputação

Os cuidados com as lesões devem ser realizados por profissionais especializados, devido ao alto risco.

Cuidados com as lesões

  1. Aliviar a pressão

    Alternativas:
  • Repouso
  • Uso de muletas e andadores
  • Calçados para cicatrização                                                                                                

Como prevenir:

  • Atenção às pequenas lesões
  • Informações sobre os riscos e cuidados
  • Controle rigoroso da glicemia
  • Higiene e hidratação diária dos pés
  • Avaliação do grau de risco uma vez por ano para todos os diabéticos
  • Diabéticos que apresentam alguma alteração neuropática, detectada nos testes de sensibilidade, a avaliação deve ser repetida a cada seis, três ou dois meses dependendo do grau de risco.
  • Uso de calçados terapêuticos de acordo com o grau de risco
  • Realização de cuidados com as unhas e calos e qualquer ferimento por enfermeiro especialista em podiatria.
  • Tratamento médico da neuropatia e da vasculopatia.
  • A orientação e a conscientização da pessoa diabética, a adoção de medidas preventivas com o a avaliação do grau de risco, a eliminação das calosidades e os cuidados com as unhas dos pés, realizados por enfermeiros capacitados, além do uso de calçados adequados são alguns dos itens fundamentais na redução do número assustador de amputações.

Orientações por ​Suely Rodrigues Thuler, Enfermeira Estomaterapeuta TiSOBEST
Pós-graduada em Podiatria Clínica - UNIFESP

Membro titulado da Sobest: Associação Brasileira de Estomaterapia: estomias, feridas e incontinências.
Membro do WCET-World Council of Enterostomal Therapists

Diretora da Stay Care